quinta-feira, 20 de março de 2008

Segurança

Por duas vezes esse assunto se deparou comigo essa semana e de formas distintas.
Primeiro pensei em segurança em relação às relações, relacionamentos e, claro, ao sexo oposto. E pensei que bem uns anos a mais não fazem em relação a isso? Pois é, às vezes a gente fica achando ruim envelhecer, mas é isso que nos dá segurança em viver. Não deve ser à toa que tem tanta mulher linda e mais velha. É a tal da segurança que nos transforma.
Estive lembrando, por exemplo, quando um amigo da minha irmã me paquerou. Ele gostou de mim e até mandava recadinhos por ela, que trabalhava com ele. Eu fazia colégio no mesmo lugar em que ele fazia faculdade. E não tinha coragem sequer de chegar próximo ao prédio que ele estudava, marcar um encontro e nem nada assim. Vergonha, medo, sei lá, era tomada por tudo ao mesmo-tempo-agora. O tempo passou e ninguém poderia imaginar o quão ousada eu poderia ser ao responder um e-mail e ir ao encontro de uma pessoa que fugia dos (ditos) padrões normais das minhas relações e até das relações das minhas amigas.
A outra questão na qual me peguei pensando nisso se diz em relação ao trabalho. A reunião de segunda-feira mexeu bastante comigo. Pela primeira vez na vida me vi em uma reunião de trabalho como a responsável pela minha área. Pela primeira vez na vida não era apenas uma estagiária ou subordinada. Era, naquele momento, a tal nova jornalista ou jornalista nova como já tinha sido apresentada e que, mesmo assim, estava gabaritada para expor suas idéias, dar sugestões e falar com alguma (mesmo que pequena) prioridade. Jamais me imaginei tão nova fazendo esse papel. Jamais achei que ia me sentir tão bem e confortável, sem o medo que tantas vezes me acometeu em tantas outras reuniões em que participava como mera coadjuvante.
Pois é! E viva a segurança!

2 comentários:

Chel disse...

aii q bom Dri ! aonde vc está agora?! que delícia ... é tão bom se sentir segura assim não?! que isso continue com vc sempre =)

bjao ! boa sorte!

Menina com uma flor disse...

Chel, to numa ONG que trata de moradia. Chama-se APOIO. É bem legal e eu estou gostando bastante. No começo é um pouco difícil, mas já tenho colocado algumas coisas em prática, o que nos deixa sempre em segurança.
Beijos