quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Frágil uma pinóia
Meu tipo mignon engana. 1,60m de altura e quase 45kg. Do tipo que todo mundo diz que não pode abraçar muito forte porque quebra. Não, eu não quebro. Posso ter cara de boazinha e jeito quietinho e tímido dando margem às pessoas interpretarem como santinha, mas aviso logo: De anjo não tenho quase nada. Por aqui não salvam nem os cabelos enrolados.
Então, não se surpreenda se passar por mim na rua e a cara estiver fechada. Se eu disser: Vocês podem fazer o favor de calar a boca que eu to tentando dormir. Ou se depois de esperar um bom tempo pelo suco virar para a garçonete com a pior das caras e a mais seca das vozes: Ei, cadê o suco, hein? Ou então quebrar o pau no telefone porque eu só vou pagar pelo MEU diploma o que a LEI determina.
É claro que você também pode passar por mim na rua e me ver sorrindo à toa, cantarolando, caminhando alegremente. Sou a pessoa que vai passar creminho gelado nas suas costas e pés caso eles estejam ardidos do sol ou até a única irmã capaz de levantar da cama e ir buscar um copo de água enquanto você está no computador.
Lado bom e lado mau. Lado grosso e lado meigo. Eles andam assim, todos juntos, em mim.

Um comentário:

Tatiana disse...

E sabe que eu amo todos esse lados? Sou personagem de alguns desses fatos que você cita. E amo da menina que manda dormir a que é capaz de cuidar como se tivesse feito isso durante toda a vida!
Prefiro você cantarolando, é verdade! Ou rindo porque está com sono! Mas é muito bom saber que vai partir pra briga comigo se me chamarem de patricinha!
Beijos